Loading...

terça-feira, 14 de outubro de 2008

OS REGENTES

Não deixo de ficar admirado quando vou ao culto e vejo aqueles irmãos, lideres de corais juvenis ou corais de adultos, maestrando com alegria seus componentes. A coragem deles em estarem ali, mesmo sem serem remunerados. Tudo que eles fazem é para o Reino de Deus, para inaltecer Seu nome com amor. Ensaiam, sacrificam dias de feriados, festas, a própria família. Os solteiros sacrificam o noivado ou o namoro, deixando de curtir um pouco mais para trabalhar na Seara do Mestre. São eles que se prontificam com alegria, mesmo sabendo que vão enfrentar a inveja e o desamor por parte de muitos, como acontece com muitos que trabalham para o progresso do Reino de Deus. Graças a Deus por esses irmãos existirem. O Seu Reino sofreria muito mais por falta de material humano. Eles são muito necessários para que a igreja possa ser presenteada com aquelas músicas inspiradas, aquelas letras que glorificam o nome do Senhor.
Por outro lado tenho pena por esses irmãos quando eles não sabem nada ou quase nada de música. Não sabem,muitas vezes, nem o que é um acorde ou o que é um Dó ou um Mi. Eles são chamados para liderarem mesmo sem nem sonharem com o que seja tudo isso falado aqui. Chegam lá na frente do órgão e começam a balançar os braços ao ritmo das músicas, totalmente fora do tempo de divisão das mesmas. As vozes geralmente não têm divisão, cantam em uníssono. Parabéns a eles pela coragem de trabalhar assim para Deus mesmo sem ter a capacidade necessária. Pois se para ser médico é preciso estudar Medicina e para ser advogado é preciso conhecer Direito, da mesma forma para ser músico, musicista, regente, é preciso saber de música, estudar, fazer pelo menos um curso básico no Templo Central mesmo ou no Seminário Batista, ou qualquer outro seminário competente para ensinar boa música. A Universidade Federal também tem um ótimo curso.A Igreja Batista tem um seminário de música que é um dos melhores de Recife, quiçá de Pernambuco. Muitos dos regentes conhecidos de nossa igreja fizeram o curso nesse seminário acima falado. Vê-se facilmente que eles saem de lá competentes o suficiente para liderarem qualquer coral ou mesmo comporem músicas de qualidade ou tocarem bem qualquer grande obra de um gênio da música universal.Franzer é um ótimo exemplo. Estudou nesse seminário. Todos conhecem sua grande competência. É um dos maiores músicos conhecidos em Pernambuco. O nosso maestro Kleiber também é outro exemplo.
Penso que já que esses irmãos leigos estão trabalhando para o Reino de Deus, seria bom se a igreja desse Bolsas de Estudo para os mesmos, que regem algum órgão, conjunto ou coral, para que façam a obra de Deus com alegria. Muitas vezes eles não sabem de música por não terem condições de estudar mesmo. Não se sabe com certeza se a nossa igreja dá Bolsa de Estudo. Se já faz isso, glória a Deus, que amplie ainda mais, porém se não faz, seria bom se isso acontecesse. Vê-se que eles têm boa vontade em aprender, só falta oportunidade. Não basta ter talento, é preciso que alguém abra as portas para que as pessoas que têm isso tenham oportunidade para exercê-lo e desenvolver o que Deus lhes deu, como o amor pela música, a paciência para liderar, e a boa vontade para trabalhar para o crescimento do Reino de Cristo. Assim deve ser feito para que a igreja tenha sempre alguém capacitado para exercer o ministério, como os levitas no tempo de Davi, o qual instituiu os turnos de cada um. O escritor do primeiro livro de Crônicas diz que todos eles eram capacitados para as suas devidas funções (leiam os primeiros capítulos desse livro).Isso também é lutar para o crescimento da Igreja de Cristo, com certeza Ele se agrada quando damos o melhor para Ele. Dar o melhor para Deus também é louvar ao Senhor com arte, como diz o salmista em um dos seus hinos. Nos preocupamos com a Obra de Deus quando agimos assim. Não dizemos que temos de dar o melhor para Deus? Pois que se faça isso.
Sonho com o dia no qual se verá esses irmãos regendo os corais ou conjuntos sabendo o que estão fazendo– boa pare deles não sabem, infelizmente, apesar da boa vontade deles em trabalhar para Deus – É uma pena isso. Alguns regentes conhecedores de música, ficam abismados, embora não digam nada na frente de ninguém, quando vêem isso acontecer, mas entre eles falam abertamente sobre isso. Dizem que é preciso preparar esses irmãos, dar a eles condições para liderarem um órgão com competência para a honra e glória de Jesus. Como seria bonito ver todos eles dar a entrada certa para os hinos cantados, ensaiarem sabendo o que estão fazendo, dividindo as vozes direito, em vez dos órgãos cantarem em uníssono. Há corais juvenis cantando sem nenhuma divisão de vozes. Dá pena isso. Se for para o Mestre que seja feito da melhor forma possível, pois Ele se agrada dessas coisas. Lembrem dos levitas, preparadíssimos para exercerem esse Ministério. Eles não eram levitas por que cantavam não, eram acima de tudo competentes no que faziam. Isso também seria valorizar os maestros e regentes, pois eles são preparados para trabalhar assim. Não se prega que o louvor é o único Ministério que vai para a Eternidade? Então que se exerça ele com mais afinco, com mais qualidade, mais do que já fazem agora. Imaginem todos os órgãos de louvor fazendo isso com competência? Não seria maravilhoso? Sei que há muitos que fazem isso dessa forma, mas a maioria não conhece nada de música. Essa é a verdade. Não é à toa que os batistas ficam querendo arrastar nossos maestros, como disse certo alguém uma vez. Lógico, se eles estudam no Seminário dessa igreja!! Mais de noventa por cento de nossos regentes fazem os seus cursos por lá. Então é natural que nossos irmãos batistas queiram pagar a nossos regentes para ficarem em suas congregações, pois sabem o quanto competente são, tendo estudado onde estudaram. Claro.O que não pode é continuar-se vendo nossos queridos irmãos balançando os braços lá na frente, acompanhando o ritmo da música, e não os compassos delas. Eles têm boa vontade em reger, o que falta é mais competência, mais técnica, conhecer mais música, pois a Obra de Deus exige isso: crescimento. Devemos fazer com qualidade espiritual e técnica também. Davi era músico, compositor e instrumentista, mas fazia tudo isso com a técnica vigente em sua época, não fazia de qualquer jeito. Era mestre no que fazia, pois era considerado um dos maiores músicos de Israel. Que a igreja incentive mais, que os irmãos ajudem mais, que haja mais interesse em ensinar, patrocinar estudar música. Os ouvidos da igreja vão agradecer depois. E Deus será glorificado de uma maneira muito melhor, pois ele merece isso e muito mais. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário