Loading...

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

A SANTIFICAÇÃO

Assim diz o Senhor: voltarei para Sião e habitarei no monte de Jerusalém; e Jerusalém chamar-se-á a cidade da verdade e o monte do Senhor do Exércitos, monte de santidade .” Zc 8.3
Jerusalém foi conquistada pelos hebreus durante o reinado de Davi, passando a ser capital do reino de Israel. Muitos anos depois, o profeta Zacarias, após o cativeiro de Israel em Babilônia, é usado por Deus para incentivar o povo e consolá-los com mensagens de esperança.
Diz o Senhor que, ao voltar para Jerusalém, haveria uma transformação na cidade; seria ela conhecida pelos nomes de ‘verdade’ e ‘santidade’. Concluímos daí que onde Deus está tem que haver uma mudança, pois sua presença é poderosa. Isso seria a conseqüência do ato de Deus voltar para a cidade; Ora, é sabido que Jerusalém estava edificada sobre um monte, e Deus fazendo a comparação, chama-no de “Monte da Santidade” . A posição geograficamente elevada, tornava Jerusalém separada das cidades ao redor; Isso nos leva à analogia de que o crente tem que ser separado para ser santo, conforme o próprio sentido da palavra indica (santo=separado), do contrário, jamais haverá verdade, sinceridade. Se há separação, há diferença!! A diferença seria tanta que todos a notariam, tal a transformação.
Não deve ser diferente em nossas vidas. Deus habita na Igreja e isto é notado, verificado. Tal é a transformação que acontece que todos dizem: “aquele é um homem de verdade e a Igreja é mesmo um lugar santo”. A presença de Deus causa impacto, admiração e reverência nos homens.
Não é vã a nossa fé, não serviremos ao Senhor por acaso, porque há uma conseqüência disso tudo e Deus faz questão que isso seja notado para que o mundo veja a diferença entre aquele que o serve e o que não o serve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário