Loading...

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

PAULO E ROUSSEAU: CONHECER DEUS PELA NATUREZA


Jean Jaques Rousseau (1712- 1778), foi mesmo um grande filósofo, sem dúvida. Para uns ele foi o pai da Revolução Francesa, Para outros, da tirania, e ainda do Socialismo de Estado. Cada um teve uma ideia diferente sobre ele, e até hoje ele é estudado, por suas ideias serem tão controversas.

o bom selvagem
Uma das suas inovações foi dizer que Deus pode ser encontrado na natureza, que algumas pessoas tem deturpado a ideia certa de Deus, o Ser supremo, que pode ser "lido" nela, que é  o seu melhor livro. Dessa forma, ele aponta para Deus, mas mesmo assim diz que ele ainda está longe, coisa que o filósofo não compreendeu direito, pois Paulo mostrou Deus, mesmo imanente, tão perto de nós como sua criação. Segundo Rousseau, o homem é bom, mas a sociedade o corrompeu.E essa ideia sua não foi compreendida ou não foi aceita por muita gente, como Voltaire, que, respondendo uma carta de Rousseau, disse que "estava velho demais para voltar a andar de quatro patas", se referindo ao estado do bom selvagem. Mas a igreja em sua terra natal, a Suécia, também não  aceitou essa ideia, dizendo que era contra o cristianismo. Mas essa ideia, ou doutrina, não é nova; a Bíblia já falava isso, que Deus pode e se revela pela natureza, como no Salmo 19. Lá, o salmista diz que "os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento as obras de suas mãos". Então nesse ponto Rousseau estava certo, pois Deus pode se encontrado na natureza, "tanto  o seu eterno poder, quanto sua glória, sua Pessoa". No capítulo 1 de Romanos ele diz claramente que tudo que foi criado fala de Deus. Eles, os homens, transformaram a glória do Deus invisível em imagens de animais das mais diversas maneiras. Paulo se refere também ao fato do homem ser essencialmente mau, baseado no livro de Gênesis, no capítulo 6, onde Deus diz que o homem é mau desde a sua meninice, e não como diz o filósofo, "que ele é bom quando nasce, e é corrompido depois". Na verdade, o homem nasce mau e se torna ainda mais mau, tanto pela sociedade, quanto por ele mesmo, dando vazão aos seus prazeres e inclinações. A própria sociedade é corrompida, que é formada por homens corrompidos;só podia ser assim.
A religião que Rousseau tanto execrou foi a Católica, na época mantinha tanta influencia na sociedade de então. Ele diz que os homens corromperam os ensinamentos de Deus, que Deus não era como eles diziam, que um Deus que escolhe só um povo, não é um Deus ideal. E que também não condena suas criaturas ao inferno.  Mas levar isso em conta é esquecer que o homem, segundo a Bíblia, colhe o que planta (Gl 6.7).  O Deus que criou o homem, é o mesmo Deus que o condena de acordo com o que cada um faz; assim, ele faz o que é justo. 
Paulo também se baseou em Isaías 40, onde o profeta fala que "Deus chama as estrelas pelo seu nome, e que nenhuma delas faltará." Davi, no Salmo 8, louva a Deus "por sua criação, pela lua ,pelas estrelas, por toda a natureza;" também o Salmo 148 é uma ode ao Senhor por tudo que foi criado. Ao longo de toda a Bíblia há essa revelação de Deus pela natureza, coisa que bem falou Rousseau em tentar estabelecer a religião natural. Foi uma ideia original para a época, que o diferenciou dos demais filósofos de seu tempo e outros, como Diderot, Strauss, que foi um grande antropólogo, que se baseou em Rousseau para estabelecer suas teorias. Paulo e o filósofo da natureza concordaram nesse ponto tão  interessante. Pode ir a Deus pela natureza, o que é tão natural. O filósofo não estava com uma fé cega, mas racional, sabia o que estava dizendo. Ele apenas não a seguiu como deveria, pois sabendo disso, do Deus que se revela em sua criação, poderia tê-lo servido melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário