Loading...

terça-feira, 22 de julho de 2014

A ACEPÇÃO DE PESSOAS E A DISTORÇÃO DO EVANGELHO


A lição que estudamos, domingo desses,na Escola Dominical, versou sobre acepções de pessoas. Muito interessante. Algo que tem acontecido mesmo entre nós, o que é um absurdo. O apóstolo ordenou que jamais fizéssemos isso, pois é falta de amor e de fé. Isso no século primeiro! Já havia isso nessa época. Às vezes pensamos que a igreja primitiva era uma perfeição, mas não era assim. Se Tiago falou, é por que havia.Infelizmente.
Vivenciei isso certa vez numa congregação de grande porte, quando o templo estava lotado, e não cabia mais ninguém, por causa do ar-condicionado. Pois bem, mas isso só demorou até a chegado de um jogador famoso, que era "atleta de Cristo", e as irmãs que tomavam conta da entrada impediram que outros  irmãos entrassem, mas deixou esse famoso. Achei absurdo, anticristão. Tratar as pessoas pela posição social delas, ou status, fama. Cristo jamais ensinou isso.
No entanto, a persistência disso é vigente, principalmente num mundo capitalista como o nosso, onde o ter é mais que o ser, e as propriedades são a base da consideração, é uma doença que precisa ser extirpada.
O cristianismo é simples, mas quando uma igreja fica muito rica, ela começa a estabelecer padrões que não estão na Bíblia. Talvez por se sentir como a igreja de Laodiceia, rica, soberba, se sentindo autossuficiente. É preciso ter cuidado quando uma igreja se torna dona de empresas, que levam ao poder econômico, e daí vem o desejo pelo poder político, aos conchavos com partidos que lutam contra a família, e a favor dos homossexuais, o que contraria os padrões bíblicos, como fala Paulo em 1 Coríntios 6.1ss. Estão unindo a luz com as trevas. Ficou claro que, na hora em que a igreja mais precisou do apoio deles, por causa de uma certa lei, o líder, tão aclamado, e chamado de amigo da igreja, fez uma declaração pública dizendo que não era da mesma opinião do cristão que vociferou contra a prostituta que se diz ícone da luta contra os maus tratos infantil,- o que é uma contradição, já que ela contracenou com uma criança de 12 anos num filme que fez, e teve relações com ele- Ali ele mostrou sua verdadeira face.É para que nós aprendamos que não existe afinidades, nem haverá, entre os filhos das trevas e a igreja militante, pois o mundo nos odeia, disse Jesus em João 15, salvo engano.
Veja que a  acepção de pessoas pode levar a isso. Pode levar a caminhos que, mais tarde, pode encaminhar a igreja a se tornar uma organização manipulável, em curral eleitoral, em vez de aprisco do Senhor Jesus. Acho lindo o que Paulo escreveu em Romanos 14.17: "o reino de Deus não é comida e nem bebida, mas justiça e paz  alegria no Espírito Santo." É esse o sentido do evangelho, que é poder de Deus, e salvação para os que creem, segundo Paulo aos Romanos. Ele não se envergonhava do evangelho, mas estamos caminhando para que alguém se envergonhe dele, por causa da aliança com o mundo, o sistema cheio de ideologias diabólicas, contra Deus e a família. Não precisamos da política para que nos defenda,nem dos vermelhos transvestidos de cristãos, coisa que não são, como a igreja primitiva não precisou do Senado romano para defender ela. Ao contrário, lutou contra ele, pois queriam que adorassem ao imperador, considerado um deus, mas não quiseram, e pagaram um preço caro por isso, morrendo queimados e jogados às feras, e muitos outros males.No entanto, isso mantinha a pureza da igreja, só ficava quem realmente era cristão de verdade, que não tinha medo de morrer por Jesus. Espero que, quando as coisas apertarem de verdade, não tenhamos  esse medo, pois vai apertar para a igreja mesmo. Que Deus nos guarde das falsas alianças, que nada mais são do que "anjos" maus transvestidos de luz.


3 comentários:

  1. Parabéns gostei muito do blog.

    ResponderExcluir
  2. o que dizer de congregações situadas em área nobre como benfica por exemplo, onde, irmãos de outras denominações recebem oportunidade, mas em congregações de áreas abastadas isto não ocorre de forma alguma.

    ResponderExcluir
  3. OBRIGAdo pelo comentário;mas gostaria que se identificasse, pois eu o conheço.

    ResponderExcluir